YAWANAWÁS – O POVO DA QUEIXADA

Os Yawanawás (yawa/queixada; nawa/gente) são um povo indígena pertencente ao tronco linguístico pano, ocupando atualmente as margens do rio Gregório, no município de Tarauacá, no estado do Acre. A população Yawanawá encontra-se vivendo na Terra Indígena (T.I.) do Rio Gregório e possui várias aldeias como a aldeia Nova Esperança, Mutum, Escondido, Tibúrcio e Matrinxã, todas ao longo do rio Gregório, situado no estado do Acre, na Amazônia Brasileira.

A T. I. do Rio Gregório foi demarcada na década de 1980, e em 1993 o povo Yawanawá realizou um acordo comercial com a empresa americana Aveda para fornecimento de urucum, e graças a este acordo eles tiveram condições econômicas de resgatar sua cultura tradicional que estava se perdendo.

A T.I. do rio Gregório foi a primeira terra indígena a ser demarcada no Acre, antes disso os Yawanawás viviam como escravos dos donos dos seringais, durante o ciclo da borracha, sendo que os indígenas passaram e ser recrutados para extrair o látex e trocavam esse trabalho por sal, açúcar e itens de primeira necessidade. Com o passar do tempo eles começaram a abandonar a vida simples na floresta e ficaram completamente dependentes dos seringais que acabavam aprisionando os indígenas por conta da alta demanda de produção.

De um lado estavam os seringalistas, e de outro os missionários evangélicos, existindo uma espécie de parceria para doutrinar os indígenas. De um lado eram explorados fisicamente, e de outro lado eram explorados espiritualmente impondo sua religião, impedindo os Yawanawás de usarem suas medicinas sagradas da floresta e fazer suas cerimônias.

O cenário começou a se modificar quando os Yawanawás tiveram na década de 80 a sua T. I. demarcada, e com o seu espaço demarcado eles expulsaram os seringueiros e os missionários de suas terras e começaram então o resgate de suas tradições, cultura e espiritualidade sagrada.

A economia Yawanawá se baseia em atividades produtivas como a caça, a pesca e agricultura, com o plantio do milho, mandioca, arroz e banana, e também a produção de urucum.

Com o resgate de suas tradições e espiritualidade, eles retomaram também as cerimônias e trabalhos com as medicinas da floresta, como o uni (ayahuasca) e o rume (rapé). O principal aspecto da espiritualidade dos Yawanawás é a cura, mas em outros tempos também atendia a caça e a guerra. Os Yawanawás possuem diversas técnicas e rituais, com utilização de diversas medicinas da floresta.

A partir dos anos 2000 os Yawanawás passaram a abrir seus festivais xamânicos para o público, o que contribui para o resgate e preservação de sua cultura, realizando hoje dois grandes festivais anuais, o Yawa e o Mariri, onde são realizadas cerimônias com ayahauasca e outras medicinas tradicionais, como rapé, sananga, defumação com resina sepã, banho de ervas, exposição de artesanatos, pinturas corporais, brincadeiras tradicionais e danças sagradas.

Espero que essas informações contribuam com você. Dúvidas ou sugestões deixei seu comentário abaixo, e siga-nos em outros canais e redes sociais.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s